Os resultados aparecem na revista “Cancer Prevention Research” (Junho de 2015) concluíram que homens com cancro de próstata aumentam significativamente as suas possibilidades de morrer da doença, se não comem de forma saudável depois de terem sido diagnosticados.

Os mais apegados a uma dieta “ocidental”, que contém um monte de farinha refinada, açúcar, aditivo, processados e carne vermelha rica em gordura; tinham 2,5 vezes mais probabilidades de morrer pelo cancro de próstata.

Os consumidores de uma “dieta-ocidental” também tinham 67% maior risco de morrer de qualquer causa. Enquanto que as taxas globais de mortalidade dos homens “prudentemente saudáveis”, com dietas ricas em vegetais, frutas dieta, peixes oleosos (Omega 3) e leguminosas, foram reduzidas em 36%.

O estudo

Os investigadores analisaram dados sobre a saúde e a dieta em 926 homens que participam numa investigação nos Estados Unidos, os pacientes diagnosticados com cancro de próstata. Após o diagnóstico, os homens foram acompanhados por uma média de 14 anos.

Pesquisador Dr. Jorge Chavarro da Harvard TH Chan Escola de Saúde Pública de Boston, disse: “No momento há pouca evidência para aconselhar os homens que vivem com cancro de próstata em como eles podem mudar o seu estilo vida para melhorar a sobrevivência”. “Os nossos resultados sugerem que uma dieta saudável pode beneficiar estes homens para reduzir especificamente as chances de morrer de câncer de próstata”.

Estudos anteriores sugeriram que alguns alimentos podem retardar o crescimento do cancro de próstata ou reduzir o risco de regressão após o tratamento. Exemplos incluem produtos de soja, leguminosas, como feijão, grão de bico e lentilhas, brócolos, couve e outros vegetais crucíferos, tomates cozidos (para licopeno nutrientes), chá verde e suco de granada. Outras boas fontes alimentares de selênio mineral – mas não suplementos – também são benéficas, incluem castanhas, fígado, rins, peixes azuis, frutos do mar e aves de capoeira.

Conclusão melhor reduzir ou eliminar a carne vermelha, carnes processadas, ovos, farinha refinada, açúcar, etc; e aumentar numa variedade de frutas, vegetais e legumes combinados com alguns exercido.